Faz alguns meses que os funcionários da Ubisoft entraram em confronto com a desenvolvedora alegando que o ambiente de trabalho era tóxico e com casos graves de assédio, além de conduta imprópria e comportamento abusivo por parte de alguns colaboradores de diversas hierarquias. Agora, após a publicação de uma carta aberta em 2021 e negociações com a companhia, o grupo ‘A Better Ubisoft’, que luta em prol das melhorias, divulgou uma segunda declaração afirmando que “nenhuma de nossas demandas foram atendidas e a administração se recusa a se envolver.”

As denúncias contra a Ubisoft, que ocorrem desde 2020, veio a público através do site Kotaku. Após a divulgação da informação e declaração de alguns funcionários, a Ubisoft passou a sofrer pressão externa e interna por melhorias no ambiente de trabalho, bem como resoluções e penalidades para atos de abuso.

Leia mais!

Em julho do ano passado, a Ubisoft divulgou um relatório revelando o receio de perder talentos e também a dificuldade que estava enfrentando para mantê-los. A empresa usou o documento para afirmar que a companhia estava lutando contra o comportamento tóxico e de assédio dentro da empresa e informou ainda que implementou um treinamento sobre assédio e machismo. Também houve a criação de um cargo de vice-presidente global de diversidade e inclusão.

publicidade

Em setembro de 2021, Yves Guillemot, CEO da Ubisoft, também se desculpou com “todos que se machucaram” pela má conduta da desenvolvedora.

No entanto, ao que indica a recente declaração dos funcionários, “já se passaram 200 dias desde que assinamos nossa carta aberta e estabelecemos nossas quatro principais demandas” e quase nada foi feito. “Estamos cansados ​​de ter que explicar repetidamente esses pontos aparentemente óbvios para uma equipe de gerenciamento que é acidentalmente ignorante ou simplesmente não quer ouvir”, diz um trecho do atual documento.

Do início do movimento para cá, a Ubisoft já perdeu diversos talentos, entre designers, desenvolvedores etc. De acordo com informações da Axios, divulgadas em dezembro do ano passado, a Ubisoft vinha sofrendo com pedidos de demissão em massa há pelo menos 18 meses – o que impactou diretamente no desenvolvimento e lançamento dos jogos.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do eacdn? Inscreva-se no canal!