Um castelo de cartas, irresponsabilidade com os clientes e muitas viagens frustradas: a 123 Milhas jogou uma bomba no colo de muita gente em agosto de 2023. A empresa simplesmente suspendeu a emissão de passagens promo com embarque previsto entre setembro e dezembro de 2023.

No comunicado, a 123 Milhas informou que a causa da suspensão seria devido à persistência de circunstâncias de mercado adversas. Acontece que o sistema de compra de passagens que a empresa fazia era um tanto duvidoso e tinha tudo para dar errado. E se você acabou entrando nessa fria junto comprando passagens promo, saiba agora o que fazer.

publicidade

Leia mais

Entenda por que aconteceu a suspensão das passagens promo da 123 Milhas

A 123 Milhas está sendo investigada por esquema de pirâmide, pois foi acusada de vender passagens que ainda não haviam sido emitidas pelas companhias aéreas. Além disso, a empresa está em total descrédito no mercado com mais de 20 mil reclamações no Reclame Aqui e muitos consumidores lesados estão processando a empresa judicialmente. Entre outras coisas, a 123 milhas teve seu cadastro suspenso pelo Ministério do Turismo no Cadastur.

A verdade é que a 123 Milhas chegou a esse ponto por fazer um esquema de vendas de passagens que deu certo durante um tempo, mas que definitivamente quebrou. A empresa funcionava da seguinte forma:

  1. Vendia passagens que ainda não existiam;
  2. Aplicava o dinheiro que recebia;
  3. Comprava milhas de pessoas físicas e convertia em passagens aéreas.

Porém, as companhias aéreas proíbem a venda de milhas, o que já é suspeito em relação a essa empresa. O negócio deu muito certo por um tempo, até mesmo porque a 123 Milhas investiu na contratação de influenciadores para iludir os consumidores e, infelizmente, muita gente está sendo prejudicada.
E se você foi uma dessas pessoas que adquiriu uma passagem promo, você tem duas opções:

Solicitar o voucher

Nesta opção você solicita o voucher e aguarda a promessa que a partir do ano que vem poderá usá-lo, o que é um risco. Afinal, como a empresa foi ladeira abaixo e a notícia saiu em todos os veículos de comunicação, a estimativa é que as vendas caiam e não haja recuperação para a devolução do dinheiro de tanta gente. Além de tudo, as passagens no site estão o dobro valor, o que lesa mais ainda o consumidor na questão do voucher.

Entrar na justiça

Primeiro é indicado que você acione o Procon, deixaremos o link abaixo para facilitar:
Consumidor.gov.br.

E em seguida, você pode também entrar com uma ação na justiça, mas antes, faça um apanhado de todas as provas que mostrem que você fez negócios com a empresa e que a solução apresentada por eles com o voucher é inaceitável, ao prejudicar ainda mais a situação do cliente. Essa ação pode ser encaminhada sem a necessidade de um advogado (pois é um processo que equivale até 20 salários mínimos) e pode ser aberta no Juizado Especial Cível.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do bwin? Inscreva-se no canal!