Ostelescópios têm coletado enormes quantidades de dados sobre exoplanetas nos últimos anos. A maioria desses astros é encontrada a partir do rastreamento de trânsitos, ou seja, quando um exoplaneta passa na frente de sua estrela hospedeira e diminui levemente a luz dela.

Agora, segundo o Phys.org, um grupo de pesquisadores do Breakthrough Listen (projeto voltado para a busca de comunicações extraterrestres inteligentes no Universo) começou a procurar por sinais que pudessem indicar a presença de força inteligente por trás dos trânsitos que discordam da física newtoniana. Os pesquisadores analisaram conjuntos de dados, chamados de curvas de luz, que rastreiam o brilho de objetos ao longo do tempo.

Leia mais:

Sinais anômalos encontrados em curvas de luz de Kepler

  • As anomalias nas curvas de luz podem indicar a presença de uma civilização tecnologicamente avançada que modificou a curva de luz de seu planeta;
  • Uma busca preliminar nos dados das curvas de luz de Kepler revelou 228 sistemas exoplanetários com sinal anômalo, sendo que 218 deles puderam ser verificados manualmente;
  • Os pesquisadores categorizaram os sinais anômalos em três categorias: trânsitos que aparentavam estar faltando, trânsitos mais profundos do que o esperado e variações significativas no tempo de trânsito;
  • Apesar da busca intensiva, não foram encontrados trânsitos claramente criados por algo considerado tecnológico;
  • A descoberta de sinais anômalos continuará sendo foco de astrobiólogos e outros interessados em busca por vida inteligente.

Contudo, mais dados serão necessários e as técnicas desenvolvidas neste estudo serão úteis para processamento e análise dessas informações. Astrônomos continuarão a vasculhar centenas de estrelas em busca de trânsitos anômalos à medida que novos telescópios de busca de planetas são implementados.