Cientistas da Administração Meteorológica da China desenvolveram um novo satélite que promete revolucionar o setor. O equipamento é capaz de medir a precipitação da Terra com precisão diretamente do espaço.

Leia mais

Medições feitas diretamente do espaço

  • Esta é a primeira de duas missões projetadas pelos cientistas chineses.
  • O objetivo é conseguir medir a ocorrência e intensidade de qualquer tipo de chuva ao redor do mundo, incluindo oceanos e outros espaços inóspitos e que não possuem estações de monitoramento.
  • A nova tecnologia foi descrita no Journal of Remote Sensing.
  • As informações são da Phys.org.
(Imagem: Dr. Peng Zhang)

Tecnologia pode criar uma imagem 3D da chuva em queda

O satélite FY-3G é projetado para avaliar a forma tridimensional (3D) da chuva e outras precipitações para sistemas meteorológicos nas latitudes médias e baixas da Terra.

Ele também pode cooperar com o satélite Global Position Measurement (GPM) em órbita para melhorar a capacidade dos cientistas de estudar a estrutura e o mecanismo da precipitação global, bem como realizar pesquisas sobre o ciclo da água.

publicidade

A tecnologia tem a capacidade de medir nuvens, precipitação e perfis atmosféricos com o complemento de instrumentos de sensoriamento remoto embutidos no satélite.

O radar de medição de precipitação por sensoriamento remoto ativo (PMR) permite a detecção de diferentes intensidades de chuva. Já o instrumento de imagem óptica auxilia na medição de nuvens e precipitação para facilitar a medição de precipitação em baixa órbita e a estimativa de precipitação infravermelha de alta órbita.

O instrumento GNOS-II, também incluído no satélite, usa variações nos dados do sistema global de navegação por satélite (GNSS) para medir com precisão a temperatura, umidade e velocidade da superfície do mar a partir do espaço.

Mas a principal ferramenta do FY-3G é o radar de medição de precipitação ativo PMR, que cria uma renderização 3D da precipitação em queda. Os dados coletados pelo instrumento podem então ser usados para calcular a intensidade e o tipo de precipitação, melhorando a precisão das medições feitas do espaço.